quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Inocente fim de comédia

 




Alvo de proteção, meu, teu amor. Nesta imensidão inviolável em que eu me encontro, que não cede ao tempo meu sentimento, já nem sei o que fazer. Minha bagagem é o que furtei de ti. E agora envolto no impulso de te buscar, eu me calo. Permaneço parado sem te encontrar nem me reter. Eu quero é meu sossego tão somente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores