terça-feira, 31 de agosto de 2010

Conheça-se.


Deixe que o seu coração decida por você, pois só assim as decisões serão completas. E ainda dando errado, um passo a frente foi dado. Tenha poder sobre seu futuro, antes que ele o engula num súbito desejo de posse. Antes que você mesmo se enrole num cordão invisível de sofrimento que poderá vir a lhe enforcar. Amplie seus desejos a um horizonte máximo. E não duvide das suas próprias habilidades, pois palavras, até serem ditas do coração, são só palavras. Tente descobrir-se antes que algum outro alguém faça isso. Você não tem tempo para se dar sem se conhecer. Andorinhas foram feitas para voar; sabiás, para cantar. Mas os dois realizam os papéis um do outro e o fazem com graciosidade. Acerte o alvo, mesmo que a mira esteja turva. Objetivos não são princípios. Limite seu tempo às suas necessidades e tudo estará dentro do eixo. A força não deve ser exibida necessariamente nos desafios, já que a vida é uma batalha. Conheça-se e deixe-se conhecer.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Acredita em anjo?


Eu não consigo explicar o que sinto, porque esse não é o meu dom. Queria poder deixar claro ao mundo a confusão que estou vivendo e as difíceis escolhas que tenho a fazer. Estou imerso num mundo de complicações, mas não me importo. Quem eu seria hoje, se não tivesse enfrentado meus medos quando menos quis enfrentá-los? Meu pulso vai ganhando força com o tempo. E ainda se passou tão pouco, ou passou tempo demais? Eu só sei que passou e vai continuar passando, até que um dia tudo se torne estático. Eu queria poder voar, como as aves, mas não tenho asas. E, acredite, isso não me impede de alcançar o céu. Sou feito do tempo: trago os pés no chão e a cabeça nas nuvens. Eu me estico e me complico, mas continuo voando. E não sou ave, mas posso voar. Queria não abusar do poder das palavras e me limitar a sentimentos, mas minhas asas são grandes demais. E eu nem tenho asas, mas posso voar. Seria complicado entender como consigo voar se não sou ave e nem tenho asas, mas não é. Quando se pode tudo, o difícil é escolher que ‘tudo’ você vai querer.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Detrimento referencial.



Tenho sido constante
e até mesmo distante
sou capaz de perceber.

A fala suave e doce
remete ao ódio que te trouxe
ou que veio te trazer.

Fugaz frio terreno.
Sou parte desse epiceno
e de tudo que acontecer.

Sou ligação de instante,
alma broxante,
vida a se refazer.

Sou água cristalina e clara.
A mais bela virtude tarda
a trajetória do viver.

Tenho tido um novo vocabulário
e até comprei um armário
pra poder guardar você.

Corri das algozes caras pintadas,
ajudei as bruxas na batalha
e vi o mal vencer.

Mas continuo enrustido em prata.
Não sou ouro que  reparta,
consegui sobreviver.

Agora retomo as fachadas,
recrio a vida matada
só para não enlouquecer.

Sou história mal contada
como criança bastarda
que não sabe o que é crescer.

Vou em busca do direito
carrego tudo no peito.
A minha sina é vencer.

A minha sina é reviver.

sábado, 14 de agosto de 2010

Morda a isca.

Não quero que me rotulem pela minha cor, minha idade ou minha estatura, eu sou mais que isso. Sou maior que qualquer estereótipo pré-formado em sua mente. Tenho em mim uma verdade que não cabe a definições preconceituosas ou teorias racistas, eu sou mais que isso. Apresento-me momentaneamente como imagem física, mas é a intensidade das minhas palavras que lhes ficarão guardadas. Avante.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

A verdade.

Saber quem é quem não me interessa, o que quero mesmo é saber quem devo prezar. Sei que irei esbarrar com sorrisos falsos, lágrimas forçadas e amor fingido, mas não é isso que quero para mim. Já me basta saber que não sou completo e o que faço é me buscar em outras partes. Estou mais vivo agora porque sei que preciso de algo para continuar, preciso de uma nova fonte para me reabastecer. Não sou degradável. Tenho a capacidade de me renovar e de solidificar as minhas forças, quando necessário. Sou poderoso o suficiente a ponto de saber o meu limite, mesmo batalhando para que ele não exista. Mesmo sabendo que ele sempre vai existir. Só quero saber a verdade que me rodeia. Quero saber a quem devo dar o meu abraço caloroso, o meu sorriso verdadeiro e o meu beijo carinhoso. Devo saber disso quando a verdade aparecer. Estou a ponto de enlouquecer, mas me mantenho equilibrado para permitir que o bem se estabeleça.

Punhos de Ferro

Talvez eu tenha perdido a inspiração;
e você, a conduta.
Talvez eu te tome o coração,
por você, vou à luta.
Se os teus olhos negros não podem ver,
não serei capaz de te contar.
Se tua mão macia não puder descer,
não serei homem para te esperar.
Eu tenho punhos de ferro
e um coração a transbordar.
Saliva doce do teu sexo,
eu tenho voz forte para gritar.
Sou homem de luta,
estou sempre na labuta
vendo o sol clarear.
Sou só uma criança,
ainda vivo a esperança.
Ainda sei chorar.
Mas tenho punhos de ferro
e sei que é chegada a hora de lutar.
E eu já nem espero,
eu tenho a ânsia de ganhar.

Seguidores