sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Andrógeno


Quando o calor do dia chegar
ainda te quero ao meu lado.
E quem dirá que não irei voltar?
Caso algo diferente acontecer,
continue lendo obras nacionais.
Sei que, apesar de tudo, vou sobreviver.
Então não sei para onde ir,
mas sinto que vai chover, posso parar?
E se eu continuar sem insistir?
Diz pra mim onde esse mundo está.
Diz onde o belo se esconde,
me mostra a tua fonte pra eu me acomodar.
Então não posso mais sair,
pois meu tempo é pouco demais.
E ainda temos uma longa historia a construir.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Desabafo


Eu queria entender algumas coisas da vida, mas me acho tão perdido. Quanto mais sinto me compreender, mais me perco em minhas compreensões. Eu preciso ouvir para falar, ver para acreditar, sonhar para alcançar... Eu preciso agarrar as oportunidades com minhas mãos pioneiras. Logo eu, que sempre me achei tão cheio de razão, não consigo dizer sequer quem sou. Agora vivo essa confusão de sentimentos. Estou cercado de armadilhas íngremes e vou me vendo nelas. Faço de espelho os meus amores, minhas fraquezas, minhas decepções. Simplesmente me faço. E cada vez que me olho, me certifico de minhas dúvidas. E quer saber? Dane-se. Aposto (comigo mesmo) que sou maior que todas as indecisões que me cercam.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Andemos

Não há segredo em mistério,
nem amor sem remédio.
Não há dor que não se possa curar.
Há muito sorriso fraterno,
muito beijo sincero,
muita gente disposta a amar.
Pouco sei do que há,
do que não há, do que virá.
Nem me importa o tempo presente,
nem tempo nenhum que não me faça contente.
Estou feliz com o meu ar,
com o verbo entorpecente.

Seguidores