quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

O terno do desejo nunca sai de moda

Se a tua mente te trouxe aqui
Por imposição de vontade analítica
Então é cumprida a nossa sina
E suprida a tua fantasia
Que, eu sei, é também a minha

Valha-me, mente maldita!
Eu instigo, instigo, digo e nunca digo,
mas nunca sou o primeiro.

Resta-nos a lição:
Sala ou banheiro?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores