segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Vidência


Porque me parece que sempre fujo para ti- e os meus sonhos me mostram os teus dias. A minha imagem, no canto do quarto, eu sei, resguarda esse teu romance. O teu riso parece contente, então eu não me preocupo. Apenas a ausência pode suprir a ânsia de liberdade que eu sinto no meu interior mais sofrido. Eu amo a ti e a mim mesmo. Posso te amar de longe, na distância do último beijo que se me deu. Eu ainda posso te amar? Mesmo que o quarto esteja cheio deste amor que eu vejo, desta foto preto e branco sem camisa com ele, da sua irmã e ele, das mãos dadas a ele. E quando eu abro os olhos não vejo nada. Não é a tua casa, nem a tua família, apenas o cheiro que tanto me agrada.
Resguardo todo o resto e rezo pela tua alegria (mesmo que não seja a minha).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores