terça-feira, 24 de agosto de 2010

Acredita em anjo?


Eu não consigo explicar o que sinto, porque esse não é o meu dom. Queria poder deixar claro ao mundo a confusão que estou vivendo e as difíceis escolhas que tenho a fazer. Estou imerso num mundo de complicações, mas não me importo. Quem eu seria hoje, se não tivesse enfrentado meus medos quando menos quis enfrentá-los? Meu pulso vai ganhando força com o tempo. E ainda se passou tão pouco, ou passou tempo demais? Eu só sei que passou e vai continuar passando, até que um dia tudo se torne estático. Eu queria poder voar, como as aves, mas não tenho asas. E, acredite, isso não me impede de alcançar o céu. Sou feito do tempo: trago os pés no chão e a cabeça nas nuvens. Eu me estico e me complico, mas continuo voando. E não sou ave, mas posso voar. Queria não abusar do poder das palavras e me limitar a sentimentos, mas minhas asas são grandes demais. E eu nem tenho asas, mas posso voar. Seria complicado entender como consigo voar se não sou ave e nem tenho asas, mas não é. Quando se pode tudo, o difícil é escolher que ‘tudo’ você vai querer.

3 comentários:

  1. não é preciso asas para poder voar, cada um encontra seu próprio jeito, o meu por exemplo é parar e ler , e confesso que com seus textos eu vôo mais e mais auto!
    by: Mayla

    ResponderExcluir
  2. Estou amando seus textos, escritor! ;D

    ResponderExcluir

Seguidores