terça-feira, 17 de agosto de 2010

Detrimento referencial.



Tenho sido constante
e até mesmo distante
sou capaz de perceber.

A fala suave e doce
remete ao ódio que te trouxe
ou que veio te trazer.

Fugaz frio terreno.
Sou parte desse epiceno
e de tudo que acontecer.

Sou ligação de instante,
alma broxante,
vida a se refazer.

Sou água cristalina e clara.
A mais bela virtude tarda
a trajetória do viver.

Tenho tido um novo vocabulário
e até comprei um armário
pra poder guardar você.

Corri das algozes caras pintadas,
ajudei as bruxas na batalha
e vi o mal vencer.

Mas continuo enrustido em prata.
Não sou ouro que  reparta,
consegui sobreviver.

Agora retomo as fachadas,
recrio a vida matada
só para não enlouquecer.

Sou história mal contada
como criança bastarda
que não sabe o que é crescer.

Vou em busca do direito
carrego tudo no peito.
A minha sina é vencer.

A minha sina é reviver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores